Cestaria Tradicional Portuguesa

,
Cestaria Tradicional

A cestaria tradicional portuguesa, tem raízes na cultura castreja e permanece atualmente, uma ocupação habitual na economia da vida rural e doméstica.

Cestaria – arte de moldar fibras

A cestaria encerra a técnica de fabrico de cestos e determina a arte de moldar fibras. No sentido mais geral, é a arte de criar objectos ou utensílios, obtidos através de fibras de origem vegetal. A cestaria encerra igualmente o fabrico de esteiras, bem como materiais de revestimento ou cobertura.

Neste aspecto, a cestaria é a arte de executar cestos ou vasilhas, de dois modelos essenciais: o modelo entrelaçado, que inclui os tipos cruzado, encanado, enrolado e torcido, de acordo com o modo de utilizar as fibras, e o modelo espiral, incluindo ou não a armação de sustentação.

Qualquer um dos modelos, é muito popular e obedece essencialmente às particularidades da fibra a usar, do que a um padrão cultural ou de uma região geográfica. Os objectos, consoante a utilização, alternam em tamanho e formato, bem como a técnica de manufactura, sendo de modo genérico, peças executadas atendendo à sua funcionalidade.

Cestaria tradicional

A norte de Portugal, a cestaria tradicional é representada por inúmeros artefactos, com formas e feitios distintos, trabalhados em verga, junco, palha centeia e madeira e verga, utilizando diversas técnicas e destinados a diferentes utilizações, desde os trabalhos rurais ao transporte de compras.

Os cestos, utilizados nos trabalhos duros da lavoura, da pesca e do comércio, são executados com madeira lascada em tiras, levrada no banco e encastrada.(…)
Para trabalhos mais limpos, os cestos são executados com vergas – varas de vime e salgueiros, a que se retirou a casca – como o açafate, utilizado essencialmente como cesto de costura, e a cesta da cigana, muito vulgar entre as vendedeiras ambulantes, que nela levam os frutos, as hortaliças, o peixe, ou mesmo as quinquilharias”(…)

Texto adaptado dos originais da wikipédia e da obra “Artesanato da Região Norte”, do Instituto Emprego e Formação Particular, DRN, Núcleo de Apoio ao Artesanato.

Vídeo  – Rota da Cestaria e Vime, do Município de Barcelos

Fotografia em destaque – postais do algarve, de prof2000.

Referências a outros blogs:

Tecelagem com atribuição de Produtos Tradicionais Portugueses Qualificados, conforme lista da Qualifica.

CESTARIA DE JUNCA DE BESELGA – PENEDONO
CESTARIA DE VILAR DE NANTES
CESTARIA EM CANA DE TAVIRA
CESTARIA EM MADEIRA DE CASTANHO DE PORTALEGRE E MARVÃO
CESTARIA EM VIME DE GONÇALO (GUARDA)
CHAPÉUS DE PALHA DE CENTEIO DE FAFE
EMPREITA DE PALMA DE TAVIRA
VIMES DA MADEIRA
1 reply

Deixe um Comentário

Quer juntar-se à discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe um Comentário

You have to agree to the comment policy.